quarta-feira, 14 de abril de 2010

Talvez seja ambiciosa demais


Carreira Profissional:
Sempre fui a melhor aluna da escola. Fazia por isso. Estudava. Era organizada. Terminei o secundário com notas motivo de orgulho, sem nunca descorar a minha vida pessoal, os amigos, a família. Entrei no curso que queria. Matemática. No Porto. Sozinha. As notas não foram tão brilhantes, mas no meio de todas as dificuldades terminei o curso no prazo previsto com uma média aceitável e ainda não tinha 22 anos. O meu primeiro emprego (onde estive 4 anos) aconteceu dias depois. Inscrevi-me logo de seguida, embora tendo prometendo dias antes que não o faria, num Mestrado (ainda à séria) que terminei sem nunca faltar ao meu emprego, depois de muitas noites sem dormir. Muito esforço. Mudei de emprego mais 3 vezes sempre em crescendo. Em 6 anos quase tripliquei o meu ordenado. Hoje acabei de me inscrever no segundo Mestrado (desta vez em Finanças). Não sei no que isto vai dar, mas tenho a certeza que vai ser um sucesso. Tenho 3 propostas de emprego em vista sendo que uma delas pode duplicar o meu actual ordenado e obrigar-me de novo a uma volta de 180º.
Vida:
Sai de casa dos meus pais, da minha cidade natal com 18 anos. Vivi no Porto 10 anos (quase 11). Há 6 meses que vivo em Lisboa. Mudei de casa 13 vezes na minha vida. Vive 1 grande amor durante 6 anos. Se um grande amor deve terminar por exigência da vida, assim me aconteceu e separamo-nos num registo de amor que perdurá para sempre. 3 anos depois casei-me, separei-me em 3 meses. Vivi um 2/3 amor doloroso, difícil mas intenso que me fez aprender imenso. Muitas pessoas próximas. Nenhum outro amor. Nem paixão.
Vivo na procura incessante de um amor pleno como tenho a certeza existir. Na convergência de duas almas. No ideal da verdade e segurança. Na felicidade plena, desapegada e contruída em base sólida. É assim que quero viver o amor. Exigente. Não aconteceu. Acredito que esteja a acontecer agora... neste 3/3 acto da minha vida.
Amigos:
Conheço centenas e centenas (isto é mesmo verdade) de pessoas mas tenho apenas 7 amigos. Construo a minha rede social em dias seja em que local estiver. Nunca estou sozinha e em menos de 30 minutos resolvo qualquer problema que me apareça. Controlo totalmente o meu tempo. Tenho tudo organizado. Não devo nada a ninguém e resta sempre um bocadinho para quem precisa. Estou sempre disponível e os dias esticam todos os dias. Não minto, não escondo, não engano... preocupo-me sempre com os outros, tento encontrar a fronteira da minha liberdade em cada atitude. Peço desculpa quando erro. Interrompo quando me enervo (desculpa...). Tenho muito mau feitio mas muito bom coração. As janelas da minha alma estão abertas (menos do que já estiveram), mas há sempre espaço para que o sol entre. A minha casa é o meu refúgio e cada vez mais sinto que só entra quem é muito especial. Reaprendi há dias a sentir saudade sem sofrer. Pretendo ser sempre melhor pessoa. Mais coração, mais emoção e menos razão. Encontrar este equilíbrio.
Hobbies:
Adoro teatro, música, fotografia, desenho, pintura. Adoro escrever, ler, passear, viajar, aprender. Adoro abraçar, sentir, ouvir, falar. Adoro estar presente, sentir-me cheia, comer bem, cozinhar. Arrumar. Identifico-me com o Budismo e tenho feito tudo que me é possível para aprender o mais possível. Este ano vou fazer um curso de Japonês. Dormir bem. Viver bem. O melhor sítio do mundo para se viver é a minha casa. Adoro conduzir rápido com a música aos berros no carro. Adoro arte. Adoro comunicar. Adoro criar. Construir.
Personalidade:
Sou lamechas e insegura. Acredito menos em mim do que devia. Mas a vida já me provou vezes sem conta o meu valor. Sou forte, muito forte. Independente e inteligente (mesmo). Extremamente racional e organizada. Extremamente emocional e disléxica. Quase não choro e é difícil pedir. Gosto mais de dar do que de receber e na verdade tenho de admitir que tenho tanto medo do futuro que prefiro não esperar para que ele aconteça antecipando-o sempre que posso. Sou uma sonhadora. Vivi demais para que me seja possível não ser tão assertiva. Tenho sempre uma opinião e sou uma tagarela filosofa. Amo incondicionalmente. Sempre.
Conclusão:
Serei demasiado ambiciosa por desejar sempre mais. Mais amor. Mais paz. Mais crescimento interior?

7 comentários:

Poetic GIRL disse...

Devemos sempre querer mais, sempre ser insaciados... porque assim é que a vida vale a pena. Adorei esta partilha. Desculpa não comentar muito, mas ás vezes as tuas palavras deixam-me a mim sem palavras.... beijo grande

Carla disse...

Apeteceu-me desabafar com o mundo. Contar mais um bocadinho de mim. Obrigada pelo teu comentário minha querida. Mesmo. Um beijinho

Maisa disse...

Olá,
Já algum tempo que te leio, em silêncio, hoje resolvi deixar umas palavrinhas.
A tua forma de escrever deixa-me muitas vezes sem palavras, a pensar que gostaria de ter a força, a calma que transmites... Gostaria de serenar e reorganizar tal e qual como descreves.
A tua escrita é sem dúvida uma grande aprendizagem em muitos momentos.
Muitos Parabéns.
Beijinho

XaVier disse...

Vais desejar e conseguir muito mais porque tu mereces :) Um grande beijinho linda*

Anónimo disse...

Fantástico Carla... Escreves lindamente, tens uma inteligência enorme...
Só tu para conseguires escrever estas coisas de uma forma tão bela e poética...

Susana Bras

Anónimo disse...

Adorei o teu post mesmo, e descobrir-te um pouco mais através deste auto-retrato impresso em palavras. Parabéns por seres como és e por sempre quereres ser mais e melhor.

Tania Tavares

Pérola Negra disse...

Quando descobri o teu blog fiquei logo fã, pela forma como escreves, pelas imagens, pelos sentimentos que abundam aqui.
Este teu texto é uma partilha enorme de ti própria... Nem todos conseguiam fazer isto. Já viveste tanto... e no entanto ainda tens tanto para viver!! Obrigada por nos deixares conhecer um pouco de ti, letra a letra!
Beijo grande