sexta-feira, 30 de abril de 2010

Vou...

Vou. Claro que vou. Numa sensação de contradição e esforço. Percorro meio mundo colorido quando o meu desejo seria adormecer no tom único da tua pele. Os voos levar-me-ão menos longe do que os nossos sonhos. Mais baixo. Mais devagar.
Vou contigo cá dentro. Uma espécie de combustível que me move, a certeza de que me queres bem, quando incompatíveis as viagens se contornam na mesma data.
Vou contigo cá dentro. Numa eternidade de tempo em que os segundos parecem horas. Na forma precipitada e única de quem apenas se conhece há várias vidas.
Vou no desejo sincero que também tu fiques bem. A meu lado e no teu coração em tudo que faças. Em mim. Sempre tu no meu primeiro lugar. Sempre eu no teu.
No topo da piramide.
Prioridades compensadas.
Vidas compatíveis.
Almas.
Unidas.

2 comentários:

Vera disse...

Bem, só para dizer que estou a seguir-te atentamente, leio tudinho o que escreves, não consigo é comentar nada, porque as coisas que escreves são tão lindas e tão fortes que fico sem palavras.

Continuo por cá.

- annafilipa disse...

Escreves muito bem.
Parabéns pelos textos óptimos que tens :)

Beijinhos.