segunda-feira, 21 de junho de 2010

Porque eu mereço.

Faz hoje um ano (precisamente hoje, precisamente um ano) que se confirmou fisicamente o dor que vinha a sentir há meses infinitos. O sofrimento por que passei. As noites sem dormir. As lágrimas que me secaram o sangue. Faz hoje precisamente um ano que entrei no bloco operatório para tirar partes de mim, cancros do coração.

Dores como não quero recordar. Como nunca pensei serem possíveis. Momentos de desespero que trocaria sem vacilar por uma morte fácil e rápida. Perdas de ar. Saídas do corpo físico no apoio da alma. Momentos unicamente intensos.

Faz hoje um ano que a vida me deu o último teste. A última prova. A única hipótese de ser feliz.

Seguiram-se meses de dor em recuperação. Alegrias esporádicas de forças que já não tinha. Esperanças em curas e sacrifícios que não faziam mais sentido. E assim parti. Parti no único caminho possível. O da felicidade plena.

Hoje, precisamente 1 ano de pois (no primeiro dia de Verão) recordo-me, sem dor, sem saudade, sem pena, sem receio. Com a certeza de que fiz tudo o que nem sequer estava mais ao meu alcance. Só não vendi a alma, não resgatei o respeito, nem leiloei o amor. E assim, coro de vergonha quando confrontada com a força que multipliquei por mil. Com o amor que encontrei na medida infinitamente certa, com a certeza de que tudo tem uma razão e que não há coincidências.

Porque eu mereço.

P.S.: Obrigada a todos que incondicionalmente me apoiaram e amaram. Obrigada a todos que me apoiam e amam. Obrigada a todos que me apoiarão e amarão para sempre. Sempre os mesmos. Sempre.

3 comentários:

antonico disse...

Isso é só o começo. Você ainda receberá em dobro muito mais do criador é só continuar espalhando a sua luz.

Anónimo disse...

Es tão grande....
Gonçalo


Força,sempre

A Rainha disse...

Bigada Gonçalo. Mesmo!