terça-feira, 12 de outubro de 2010

Agora em paz

Aprendi que na vida vale a pena optimizar recursos. Diminuir o esforço. Poupar a coragem. Reduzir o sofrimento. Concentrar em momentos a dor que poderia espalhar no tempo até à eternidade.
Lapas do passado e sanguessugas de si. Carregam pesos. Arrancam medos. Criam fantasmas. Transformam-se em monstros. Aumentam de volume, de tom, de tamanho.
Cheiram mal.
Apodrecem.
Não valem mais do que segundos de poucos minutos.
-
E se ontem me revoltei com o mundo, hoje deixo repousar em paz a alma que tentam remexer e ferir.
Se ontem quase perdi, hoje sinto-me mais leve, vencedora e igualmente preenchida.
Se ontem me doeu, hoje saboreio a beleza da cicatriz que me permiti desenhar.
Porque eu sou dona de mim, do meu destino e do rumo da minha vida. Sou responsável por quem deixo que entre nela. Pelos meus actos, assumo os meus erros, corro os meus próprios riscos e permito-me crescer. Porque se há coisa que sei que sou, é que sou GRANDE!
-
Insuportavelmente grande (visto daí debaixo)!