sexta-feira, 4 de março de 2011

Serei eu ou evidências de mim?

Serei eu ou evidências de mim? O meu amor por ti é consciente e constantemente infinito na sua essência.
Amo-te sempre de uma mesma forma... excluo os condicionalismos externos, o conforto da rotina que desejamos criar. Vemos nela uma teia leve e confortável que sabemos poder decorar e pintar com cores alegres todos os dias. Mesmo cinzento e branco, quando as cores não brilham, chega. Enches-me quase até transbordar. É inócuo e transparentem, amar assim, afinal.
A segurança de um (teu) abraço.
A ternura de um (teu) sorriso.
O brilho no (teu) olhar.
Asas em que desejo voar para todos o sempre.

1 comentário:

Someone named Bani disse...

o amor é grande, o amor é lindo =]