quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

A vida que se vai...

Quando me apercebo que a vida pode mesmo fugir-me em instantes - percebo o que falta por viver. Experimentar. Em segundos sufocantes passa.-me a vida, ainda curta, testa tesa, erecta, entre flashes, imagens quentes e rápidas. Experiências que nem durante séculos. Vidas de multidões acentuadas concentradas em quase apenas 30 anos. Bem vividos.
Se for amanha, irei com a certeza dos meus limites. Sem nunca ter tido medo de arriscar.
Amei de coração cheio. Bom, muito bom.
Cheio. De esperança. De ar. De paz. De dor. De medo. De força. De mim.
Se não for, estarei na certeza que terá de ser sempre assim.
E quando me apercebo que o fim da vida poderia ter sido já ontem, a única vontade é continuar a viver como até agora. Assim.

1 comentário:

Luis disse...

Life with no regrets, sounds good =)