sexta-feira, 2 de julho de 2010

Amo-te

Sabes meu amor? Assumir para com o mundo que te amo, que és o Homem que sempre desejei, que te quero para todo o sempre na minha vida, que me comprometi contigo de corpo e alma, que não há espaço para mais nada, que te desejo ardentemente, que o meu corpo te pertence e que a minha alma se fundiu na tua, que esperei tempos infinitos para te encontrar, que és a prova da inteligência que me forcei a desenvolver ao longo de todo este tempo, que TE AMO, simplesmente de um amor puro, terno, simples e verdadeiro; é simples... porque o mundo é pequenino demais. Eu falei com o Universo e pedi a cada uma das estrelas para te encontrar. Fundi-me no cosmos a que agora compreendo ter chamado vida e assumo perante ele o meu Rei. Tu. O certo pai dos meus filhos (aliás, das minhas filhas) que te olharão com o mesmo orgulho que eu te vejo agora e sempre. Que te amarão com o mesmo coração da mãe. Que te irão abraçar, acarinhar e respeitar como eu o faço e farei para sempre.
Entende, o mundo e as pessoas pequeninas não compreendem (e nunca vão compreender) a entrega repentina, o amor exacerbado, a certeza e a paz que é encontrar o nosso futuro. E por isso afirmo com a voz em fogo que assumi contigo um compromisso de sangue, aquele que será dos nossos filhos. Amo-te.

4 comentários:

Desirée disse...

até eu quero um amor desses!


bjo flor :)

Gislaine Fernandes disse...

Lindo!

XaVier disse...

Até me arrepiei!!

A Rainha disse...

Obrigada minha querida.
És linda!