terça-feira, 29 de maio de 2012

É exatamente isto...


É exactamente isto. Eu só quero continuar a ter paz. Só quero continuar a ter a companhia maravilhosa das minhas amigas todos os dias. Só quero continuar a tê-lo a ele na minha vida. Só quero continuar a chegar a casa e a poder fazer exactamente aquilo que gosto. Só quero continuar a passear por Londres e a tirar fotografias. Só quero continuar a fazer cozinhados em casa ao som de boa música e a decidir o que realmente me apetece fazer.

Só quero que aqueles que amo tenham sempre tanta saúde quanta for possível, para que o meu coração continue a bater compassadamente e sem sobressaltos. Só quero continuar a sentir esta tranquilidade que, aos poucos, se foi instalando na minha vida. Só quero viajar com as pessoas que me fazem sentir tão feliz quanto me é humanamente possível.

Só quero poder continuar a cantar sozinha em casa, só quero continuar a trabalhar e a conhecer pessoas interessantes e inteligentes, só quero continuar o sentimento tão estranho e ao mesmo tempo tão real de que não, não sou famosa, não sou tremendamente gira nem popular, mas sou decididamente muito, muito feliz pelas pessoas que escolhi para fazerem parte da minha vida, pela minha própria casa, pelo meu trabalho actual [...].
Se podia pedir mais? Muito mais. De repente apetecia-me fazer uma viagem à volta do mundo. Conhecer todas as culturas. De repente apetecia-me que já estivesse de férias numa ilha paradisíaca. De repente, apetecia-me trazer para casa todas as roupas, perfumes, livres, doces e sapatos que visse e que gostasse.

De repente apetecia-me ter um barco e poder almoçar e jantar nesse barco aos fins-de-semana. Apetecia-me ter uma biblioteca em casa. Apetecia-me ter uma quinta minha, com cavalos, com cães, com ovelhas, com todos os animais que a fizessem preenchida. Apetecia-me fundar uma instituição de apoio baseada nas minhas convicções pessoais. Apetecia-me ter um piano de cauda. Apetecia-me ouvir, num concerto privado, os The Fray. Apetecia-me ir um dia numa viagem ao espaço. Se me faria realmente muito mais feliz? Far-me-ia mais feliz, mas não "muito mais feliz". Porque o que realmente me interessa, os tais meus requisitos mínimos de felicidade, já os tenho. Tudo o que vier a mais de bom, é só bonus.
 
Daqui

1 comentário:

Lidiane Franqui disse...

Olá!
Por acaso achei seu blog e amei. Muito leve, as palavras e os artigos são de uma sensação deliciosa de bem-estar, especialmente esse.
Como me apetecia viajar pelo mundo...
Como me apetecia realmente fazer tantas outras coisas.
Você soube, de maneira agradável e simples, dá um tom de harmonia no seu texto.
Parabéns!